Submission Deadline: 
21 December, 2021 - 17:00
Description: 

A região da CEDEAO tem experimentado doenças animais endémicas, bem como desafios relacionados com doenças zoonóticas emergentes e reemergentes que têm um impacto negativo na produção pecuária da região. A perda de renda e o declínio na subsistência dos pecuaristas e dos pequenos criadores de gado devido a doenças animais que resultam em baixa produtividade e mortes de animais não pode ser subestimada. Os sistemas de produção pecuária extensiva na região da CEDEAO, caracterizada pela transumância e movimentos transfronteiriços de gado, têm implicações na transmissão de doenças, daí a necessidade de abordagens regionais para a prevenção e controlo de doenças animais transfronteiriças (DATs). As doenças animais transfronteiriças (DTAs), incluindo CBPP, RPA, febre aftosa, antraz e zoonoses transmitidas por vectores como a tripanossomíase, continuam a ser um desafio na região da CEDEAO e têm consequências para a saúde animal e humana. Baixa produtividade, alta morbidade e mortalidade têm implicações não intencionais para a segurança alimentar e nutrição, geração de renda, melhoria dos meios de vida, geração de emprego e criação de riqueza.

O sector da pecuária na região da CEDEAO é de importância estratégica e de considerável importância económica e social para uma população jovem e em crescimento, e contribui com 35% do produto interno bruto (PIB) da agricultura. A contribuição do gado para o PIB pode ser aumentada se as doenças animais transfronteiriças puderem ser prevenidas e controladas e se a contribuição dos animais de trabalho for tida em conta. O CAADP/ECOWAP continua a ser central para o desenvolvimento e crescimento da agricultura na CEDEAO com o objectivo geral de contribuir de forma sustentável para as necessidades alimentares e nutricionais dos cidadãos e apoiar o desenvolvimento social e económico, bem como reduzir a pobreza e a desigualdade. As cadeias de valor agrícola prioritárias para alcançar este objectivo incluem o gado, a carne e o leite.

O Banco Mundial está ajudando a apoiar os Estados membros da CEDEAO a alcançar o objetivo do CAADP/ECOWAP através do Projeto Regional de Apoio à Pastoral no Sahel (PRAPS). A primeira fase do programa PRAPS (PRAPS I) foi implementada de 2015 a 2021. A segunda fase do programa (PRAPS II) entrou em vigor em agosto de 2021 a nível regional sob a Coordenação Geral do CILSS, e terminará em dezembro de 2027. O PRAPS (I e II) abrange seis países sahelianos, incluindo Burkina Faso, Mali, Níger, Senegal, Mauritânia e Chade. As acções do programa visam reforçar a contribuição da pastorícia e da transumância transfronteiriça para a segurança alimentar e nutricional, o desenvolvimento socioeconómico equitativo e a integração regional na região da CEDEAO através do diálogo, da governação e da criação de condições para o uso sustentável dos recursos pastoris entre os Estados membros da CEDEAO.

O PRAPS II vai continuar e intensificar os esforços para melhorar os sistemas de saúde animal, protegendo assim o gado e as populações humanas dos impactos negativos das doenças animais. O PRAPS II também apoiará o compromisso dos países em melhorar a qualidade e o controlo dos medicamentos veterinários e a luta contra a resistência antimicrobiana (RAM) e os riscos relacionados com os animais e os seres humanos. A nível regional a coordenação da componente 1 inclui um subcomponente 1.1 intitulado: Assistência técnica dirigida aos países para a implementação do programa e um subcomponente 1.2 intitulado: Integração da política regional, harmonização regulamentar e coordenação dos países na gestão da saúde animal. A implementação deste sub-componente 1.2 será assegurada pelo Centro Regional de Saúde Animal (RAHC), Bamako-Mali. A RAHC foi estabelecida por um Acto Adicional (A/SA.20/02/12) pelos Chefes de Estado da CEDEAO como Centro Regional de Saúde Animal Especializado da CEDEAO.

A Comissão da CEDEAO procura recrutar um coordenador de projecto qualificado e experiente para cobrir a componente regional 1.2 do PRAPS II.

 

Papéis/ Responsabilidades

SÍNTESE DO PAPEL

Para realizar a implementação da componente regional 1.2 do programa PRAPS II, o coordenador do projecto assegurará a supervisão e coordenação da implementação das actividades da componente 1.2 no Centro Regional de Saúde Animal (RAHC) e a sua coordenação com as actividades do projecto implementadas por outros parceiros, nomeadamente a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), para alcançar os principais resultados do programa PRAPS II. O coordenador será posicionado na unidade de administração veterinária da RAHC

 

RESPONSABILIDADES-CHAVE

Sob a responsabilidade do Diretor Executivo do ASRC, a supervisão direta do Chefe da Unidade de Governança Veterinária, em coordenação com o Coordenador Regional do PRAPS II da Unidade de Coordenação Regional do Projeto, com sede no CILSS, e em estreita colaboração com os parceiros do projeto, O Coordenador do Projecto no ASRC, em coordenação com o Coordenador Regional do PRAPS II na Unidade de Coordenação Regional do Projecto, com sede no CILSS, e em estreita colaboração com os parceiros do projecto, nomeadamente o Coordenador Técnico Principal da OIE, será responsável pelas seguintes tarefas-chave, de acordo com os documentos básicos do Projecto (nomeadamente o Acordo Subsidiário entre o CILSS e a CEDEAO, o Manual de Implementação do Projecto - PIM -, e o COSTAB):

 

Sob a componente de animação/coordenação :

  • Animação das redes regionais e sub-regionais, RESEPI e RESOLAB, e do Comité Veterinário Regional,
  • Coordenação de campanhas conjuntas de vacinação transfronteiriça,
  • Preparação de Planos Estratégicos Nacionais para a erradicação da peste bovina e controlo da CBPP na sub-região
  • Melhoria da comunicação e dos intercâmbios técnicos entre os Serviços Veterinários dos países membros da CEDEAO e da UEMOA;
  • Apoio a acções de integração regional no domínio da regulamentação da saúde e bem-estar animal, incluindo regras sanitárias para o comércio entre os países membros da CEDEAO;
  • Apoio ao compromisso estratégico sobre a qualidade dos medicamentos veterinários e a luta contra a resistência aos antibióticos;
  • Contribuição para o desenvolvimento do capital humano e das competências em saúde animal;
  • Apoio à geo-referenciação de infra-estruturas e equipamentos de saúde animal;
  • Assumir qualquer outra responsabilidade oficial que lhe seja delegada, em relação aos objectivos desta missão.

 

Como parte da governação do projecto :

  • Representar o CRSA no comité regional e sub-comité técnico regional do PRAPS-2 sobre saúde animal;
  • Interface entre a RCU e a RAEA (relatório sobre actividades fiduciárias relacionadas com o subcomponente 1.2);
  • Servir de ponto focal para a RCU, OIE e Banco Mundial sobre as actividades realizadas no âmbito do projecto.

 

No contexto do planeamento e da elaboração de relatórios :

  • Liderar, coordenar, monitorizar e avaliar as actividades planeadas do subcomponente
  • Elaborar anualmente o projeto de atividades e o orçamento do subcomponente;
  • Elaborar relatórios de progresso periódicos sobre as actividades do subcomponente;
  • Participar no relato dos indicadores-chave de monitoramento e avaliação do subcomponente;
  • Desenvolver elementos do plano de compras do subcomponente em conjunto com a RAEA;
  • Trabalhar em estreita colaboração com a equipa da OIE envolvida no PRAPS II para coordenar o respectivo planeamento anual das actividades da componente regional de saúde animal, bem como as agendas da sub-comissão técnica regional de saúde animal;
  • Apoiar a RCU e o CILSS com aconselhamento e análise de documentos e correspondência que exijam tomada de decisão.

 

Qualificações e experiência

O candidato desejado deve satisfazer os seguintes critérios:

  • Diploma de Doutor Veterinário;
  • Pelo menos 15 anos de experiência, dos quais pelo menos 8 anos devem ter estado num nível elevado de responsabilidade na preparação e/ou implementação de programas de saúde animal;
  • É altamente desejável uma experiência bem sucedida num cargo superior (director mínimo, de preferência CVO) de uma autoridade veterinária nacional na região;
  • Síntese, análise e capacidade de conceptualização;
  • Capacidade comprovada de federar e coordenar redes relacionadas com a saúde animal;
  • Excelente conhecimento das políticas e estratégias internacionais e regionais de saúde animal;
  • Experiência comprovada na implementação de projectos de pecuária, incluindo projectos de saúde animal financiados por doadores multilaterais (a experiência com o Banco Mundial seria uma vantagem);
  • Muito bom conhecimento e comando de ferramentas informáticas (em particular Word, Excel, PowerPoint, etc.).
  • Boa condição física com capacidade de viajar no campo

Excelente habilidade de comunicação oral e escrita em francês; um bom domínio do inglês seria uma vantagem

 

Competências

Pensamento analítico e crítico

  • Capacidade de coordenar e supervisionar as tarefas de uma equipa, assegurando a participação activa dos membros, criando um ambiente de respeito e abertura para apoiar a contribuição para a tomada de decisões para a conclusão atempada das tarefas;
  • Capacidade de organizar e liderar um grupo de trabalho interdisciplinar para desenvolver soluções criativas para os problemas;
  • Assegurar o cumprimento rigoroso da hierarquia;
  • Ser capaz de usar o Código de Ética para gerenciar a si mesmo, aos outros, informações e recursos;
  • Compreender as diversas perspectivas culturais, particularmente as dos africanos ocidentais, e considerar as diferenças entre os grupos;
  • Ser capaz de desafiar preconceitos e praticar tolerância e empatia;
  • Estar familiarizado com as regras e procedimentos da CEDEAO relativamente às responsabilidades atribuídas e ser capaz de as explicar claramente aos outros actores;
  • Capacidade de transmitir informações de forma clara, concisa, sucinta e organizada, tanto por escrito como oralmente;
  • Capacidade de ser criativo e flexível, afastando-se dos métodos tradicionais no desenvolvimento de novos procedimentos, processos e ferramentas, utilizando a tecnologia para simplificar métodos e abordagens sempre que possível;
  • Capacidade de reavaliar os procedimentos atuais e sugerir melhorias para garantir um processo eficiente e racionalizado;
  • Capacidade de reunir e resumir informações para prever a opinião dos participantes sobre uma nova política ou programa, e excelente capacidade analítica para avaliar políticas e tendências externas ao considerar opções de políticas ou programas e fazer recomendações;
  • Capacidade de sintetizar informação complexa de uma variedade de fontes externas e internas e disseminá-la de uma forma lógica;
  • Capacidade de aplicar uma metodologia apropriada para descobrir ou identificar questões políticas e preocupações de recursos.

Planejamento e implementação

  • Conhecimento dos ciclos de planejamento interno e da capacidade de contribuir para o desenvolvimento e implementação de políticas comunitárias ou institucionais, identificando o público-alvo, construindo coalizões com a população adequada e monitorando o progresso.
  • Capacidade de levar em conta circunstâncias externas, fatores e tendências ao organizar atividades de projeto para garantir os melhores resultados;
  • Capacidade de rever resultados de processos, correspondência, relatórios e documentos de política para desenvolver planos viáveis;
  • Capacidade de realizar reuniões com o pessoal, partes interessadas, colegas e outros para determinar as necessidades do programa ou projecto da organização e adaptar os planos e actividades em conformidade;
  • Capacidade de adaptar planos baseados no feedback do pessoal e das partes interessadas e/ou capacidade de desenvolver e implementar diretrizes, ferramentas e modelos para acomodar programas e serviços novos ou revisados.
  • Conhecimento de metodologia de enquadramento lógico, gestão baseada em resultados e metodologia do ciclo do projecto.

 

Condições de trabalho

  • A posição é a tempo inteiro;
  • Esta é uma posição contratual a termo certo baseada na RAHC em Bamako, Mali, mas o candidato será obrigado a viajar dentro da região. A duração do contrato é de um (1) ano, sujeito a um período probatório de três (3) meses. O contrato pode ser renovado pela duração do projecto, dependendo do desempenho e da disponibilidade de fundos
  • Espera-se que o Coordenador do Projecto se abstenha de qualquer situação que o possa colocar em conflito de interesses no contexto da missão que lhe foi atribuída.

 

Requisitos linguísticos

  • Francês oral e escrito.
  • O conhecimento do inglês é considerado um activo importante.

 

Local, duração e início do contrato

Esta é uma posição contratual a prazo fixo no Centro Regional de Saúde Animal (RAHC) em Bamako-MALI, mas o candidato terá de realizar missões em oito Estados Membros da CEDEAO onde as actividades do projecto estão localizadas. A duração do contrato é de um (1) ano, sujeito a um período probatório de três (3) meses. O contrato pode ser renovado pela duração do projecto, dependendo do desempenho e da disponibilidade de fundos.

 

É necessário o dossiê de candidatura do candidato

Consistirá de :

  • Uma carta de manifestação de interesse, incluindo disponibilidade de tempo;
  • Um CV recente que detalha a experiência profissional e tarefas similares ;
  • Three referências profissionais (nomes completos, funções, e-mail e contactos telefónicos);
  • Cópia do(s) diploma(s) mais elevado(s) ;
  • Cópias dos certificados de trabalho ou de serviço listados no curriculum vitae.

NB: Qualquer pedido incompleto será rejeitado.

 

Apresentação de candidaturas

As candidaturas devem ser recebidas até às 17:00 GMT, por entrega em mão ou por e-mail, nos seguintes endereços

Agence Régionale pour l'Agriculture et l'Alimentation (ARAA), 83, rue des Pâtures (Super Taco), 01 BP 4817 Lomé, Togo - Tel. +228 22 21 40 03 (com a menção "Selection of an individual consultant, PROJECT COORDINATOR FOR COMPONENT 1.2 (ANIMAL HEALTH) OF THE REGIONAL PROJECT TO SUPPORT PASTORALISM IN THE SAHEL II (PRAPS II)

Email : procurement.consultants@araa.org

Assunto: "SELEÇÃO DE UM CONSULTOR INDIVIDUAL, COORDENADOR DO PROJETO PARA O COMPONENTE 1.2 (SAÚDE ANIMAL) DO PROJETO REGIONAL DE APOIO AO PASTORALISMO EM SAHEL II (PRAPS II)".

NB: Não serão consideradas as candidaturas que não contenham a menção "SELECÇÃO DE UM CONSULTOR INDIVIDUAL, COORDENADOR DE PROJETOS PARA O COMPONENTE 1.2 (SAÚDE ANIMAL) DO PROJETO REGIONAL DE APOIO ao PASTORALISMO EM SAHEL II (PRAPS II)" na linha de assunto.

 

Método de selecção

O consultor será selecionado de acordo com o método de seleção baseado na qualificação, conforme definido no Código de Compras Públicas da CEDEAO.

Será organizada uma sessão de entrevista com uma lista restrita de candidatos e apenas os candidatos pré-seleccionados serão contactados.

A ARAA reserva-se o direito de não responder a este convite à apresentação de candidaturas.